satanique samba trio

Mó Bad (vinil de 10 polegadas - 2015)

50% compilação, 50% inédito, este registro compila doze bagatelas (termo pretensioso para “peças curtas e despretensiosas”) gravadas em baixa fidelidade. É o disco mais estranho de um projeto que já é estranho pacas.

Badtriptych (coletânea - 2014)

Uma oportunidade de ouro para convencer aquele seu amigo gringo tilelê a NÃO vir para o Brasil. Prove para ele que aqui também tem feiúra, cinismo, arrogância e maldade com 22 arquivos de áudio insuportáveis. Lançado exclusivamente no formato digital pelo selo Far Out Recordings (Inglaterra), esta coletânea reune os “melhores momentos” de nossos 3 últimos discos (Bad Trip Simulator #2, Bad Trip Simulator #1 e Bad Trip Simulator #3) e está disponível para download (mediante pagamento, lógico) na loja do iTunes.

Bad Trip Simulator #3 (2013)

O grand finale da porra toda. Mais especificamente, a terceira parte da série de registros informalmente conhecida como "teoria da putrefação". Ritmos tradicionais do nordeste brasileiro submetidos a releituras insuportáveis e altamente babacas. Se você gosta de baião, forró, frevo, xote, bumba-meu-boi e maracatu, visite nossa LOJA e leve para casa a prole deformada de cada um deles.

Bad Trip Simulator #1 (2011)

O segundo fascículo da trilogia inciada pelo infame Bad Trip Simulator #2. Desta vez, uns trinta minutos de onda ruim.

Bad Trip Simulator #2 (2010)

Não entendeu? A Wikipedia explica: Bad Trip ou "Bodar" é o termo que representa as sensações fisiológicas e psicológicas desagradáveis provocadas pelo uso de substâncias psicoativas durante os efeitos psicotrópicos. A Bad Trip geralmente é causada por fatores internos (como o estado mental que o usuário já apresentava antes do consumo da droga), mas também pode ser causadaa por AGENTES EXTERNOS que refletem no estado do usuário durante a "viagem".

Sangrou (2007)

Elogiado até por evangélicos, este registro se consagrou como um dos campeões de vendas do extinto selo paulista Amplitude. Trata-se de um diário de produção referente ao período mais conturbado na trajetória do sexteto mais amado de Brasília.

Misantropicalia (2004)

Neste registro distribuímos interlúdios climáticos (as infames "canções para atrair má sorte", executadas com inegável candura pelo Coral das Crianças Mortas do Distrito Federal) entre cinco bagatelas instrumentais : "Teletransputa", "deus odeia Samba-Rock", "Gafieira Bad Vibe", "seis temas tropicais para mestre lúcifer" e "Dança das Quiumbas". Pessoas comprovadamente mais bravas do que você já sucumbiram aos trinta e poucos minutos contidos neste clássico da arte abjeta. Sorte sua que está esgotado.

facebook   soundcloud   bandcamp